Cachorro deprimido

Como saber se seu cão está deprimido e o que fazer para ajudá-lo

Os cães podem sofrer, como seres humanos, de transtornos do humor ligados à depressão. Mas por que isso acontece com eles? Como é feito o diagnostico? Qual é a solução?

Mudanças no ambiente é uma das principais causas.

Em geral, a depressão em cães é o resultado de uma situação traumática em seu ambiente. Mudanças repentinas são as que mais contribuem para essa situação, por exemplo, a chegada de outro cão ou bebê em casa, uma mudança na rotina de seu dono, o luto, a experiência de uma situação estressante como conflitos com outro cão, ou mesmo as mudanças no clima como a chegada do inverno.

Entretanto, a depressão também pode estar relacionada às decisões dos donos em relação à vida de seus animais de estimação, como não incentivar a socialização com outros cães, não incentivar o exercício ou superprotegendo eles. Esses comportamentos, que mostram a ausência de um bom tutor, muitas vezes levam a doenças mentais que podem resultar em um mal comportamento ou depressão.

Cachorro labrador deprimido

Como os humanos, os cães geralmente mostram sinais de depressão. No entanto, os sintomas nem sempre são fáceis de se identificar e podem ser confundidos com cansaço ou tédio, tirando a atenção necessária para um problema mais sério e profundo.

Entre os comportamentos que permitem identificar o problema, podem ser mencionados:

Falta de interação com outros cães e inatividade:

Seja em casa ou em um espaço público, animais de estimação deprimidos geralmente param de se socializar com seus colegas e saem sem dar atenção às tentativas de se iniciar uma brincadeira.

Isso geralmente é associado a outro sintoma, que é a inatividade, já que os cães nesse estado geralmente mostram falta de interesse em atividades como correr ou caminhar. Além disso, pode-se notar que eles se movimentam de modo mais lento do que o habitual.

Mudanças no apetite:  O cão deprimido costuma apresentar o problema de mudar os seus hábitos alimentares. Ele pode começar a comer compulsivamente, de repente, ganhando peso.

Modificações no sono:  Em geral os cachorros nesta situação dormem mais. No entanto, há também aqueles que ficam mais nervosos e inquietos, enfrentando dificuldades para caírem no sono.

comportamento estranho:  Nestes casos, os cães também podem apresentar comportamento incomum, como muitas vezes gemer e chorar, ficar nervoso e ficar andando de um lado para o outro, se apegar excessivamente ao dono ou então permanecer escondido por longas horas. Nos casos mais graves, eles podem demonstrar comportamentos autodestrutivos, como se bater contra as paredes, se automutilar ou parar de comer.

Chaves para enfrentar a depressão

Quando o cão desenvolve repentinamente alguns desses sintomas, o primeiro passo deve ser levá-lo ao veterinário para identificar o problema. Isso é necessário, pois muitos dos comportamentos mencionados acima podem ser o resultado de algum problema físico e não necessariamente relacionados à depressão.

Se, após o check-up médico, as suspeitas girarem em torno de um distúrbio do humor, o importante é identificar as causas dessa situação. Uma vez que este passo é dado, algumas estratégias podem ser implementadas de acordo com o tipo de conflito que gerou a depressão:

Gastar tempo e mantê-lo ocupado:  Se a causa do distúrbio é uma mudança no ambiente, tal como uma mudança na rotina do dono, o é melhor é separar algum tempo no dia para levar o cachorro para fora de casa, o que estimula o animal mentalmente.

 

Autor: João Santos

Autor convidado para postar conteúdos no site Seu Curioso.

Veja mais

Borboleta em uma flor

Por quanto tempo vive uma borboleta?

A vida útil das borboletas depende de muitos fatores e pode ser muito variável. Por exemplo, …

Céu representando o espaço visto de longe

Curiosidades sobre o espaço

As atuais espaçonaves tripuladas levariam 700 séculos para alcançar as estrelas mais próximas. Os raios …