Revisão | Honzuki no Gekokujou 3 – Capítulo 5

Esta resenha de Honzuki no Gekokujou 3 contém spoilers. Se você não viu o capítulo, recomendamos que você o faça e depois volte para ler a resenha.

©香月美夜・TOブックス/本好きの下剋上製作委員会

Capítulo 5: O presente do padre no manto azul e eu volto para casa

Sylvester quer bisbilhotar o orfanato e a cidade, visitando os negócios de Myne no caminho, além de fazer suas próprias coisas com Benno. Na cidade, ele aproveita para caçar algo para os órfãos. De passagem, ele dá um presente a Myne, um colar mágico que pode protegê-la em momentos perigosos, marcando sua despedida. Uma conversa com o Sumo Sacerdote sobre suas preocupações e as consequências das invenções de Myne, tudo dependerá de como elas são usadas. Myne está livre para ir para casa e receber seu irmão, Kamil. Mas nos corredores da Catedral, uma armadilha está armada para Delia.

Opinião do Capítulo

Um capítulo interessante, talvez um pouco chato em algumas partes, mas cativante pelas conversas e pelo problema que se desenvolve. Em princípio, um nobre com o Devorador deve ser o responsável pelo ataque contra Myne. Depois, as consequências de visitar os lugares que Myne usa para suas criações, embora isso tenha feito Sylvester gostar mais dele, também por causa do presente que certamente será usado em algum momento desta temporada, espero. O nascimento de Kamil e o que acontecerá com Delia, esses tópicos são intrigantes. Nós vamos falar sobre isso.

Para terminar esta parte, não vi os finais anteriores com muito cuidado, mas as imagens que lá colocam parecem-me muito bonitas e contam sobre o trabalho de impressão, quase como pessoas a criar sonhos e esperanças. Um pouco idealista, mas é isso que passa, de certa forma, pela cabeça do rato.

©香月美夜・TOブックス/本好きの下剋上製作委員会

negócio da minha

Myne escraviza órfãos e seus servos para seu benefício? A coisa de escravizar não, mas a segunda coisa, ele as usa para seu benefício e pudemos notar isso com a turnê. Ela só oferece meios de subsistência para quem não tem, em todo caso Myne é um proto-capitalista. No passeio pudemos ver a coragem e o medo que eles podem ter pelos nobres, como aconteceu com Wilma, depois com Benno. Mas parece que Sylvester é acessível, pelo menos muito mais com crianças… Isso fica obscuro… demais.

Continuando com os sonhos do rato, até certo ponto o que o Sumo Sacerdote diz ser verdade, empregos podem ser perdidos por causa dela. Isso aconteceu há vários anos, neste mundo. Por exemplo, uma fábrica de automóveis que, para otimizar os lucros, prefere máquinas ao pessoal humano, o que é mais caro. Isso produz custos mais baixos e o preço do produto cai, mas o lucro do proprietário aumenta. É isso que a Myne faz, minimiza custos, maximiza lucros. O que Schumpeter mencionou, o modelo de destruição criativa, poderia ser muito bem aplicado aqui, já que o mouse está alterando o mercado daquele mundo.

Segunda parte da Poética

Umberto Eco, um escritor italiano, tem um romance maravilhoso chamado O Nome da Rosa. Aqui alguns monges descobrem em um mosteiro o livro perdido de Aristóteles, a segunda parte da Poética, que trata da comédia. Mas este livro foi escondido por outro servo de Deus, porque o conhecimento desta obra poderia ser prejudicial, libertaria as pessoas do medo subjugador e daria risadas libertadoras, rompendo com a ordem estabelecida que é tão difícil de manter. Levando em conta o que foi dito acima, isso é o que Myne pode causar e considero que isso é uma das coisas que o Sumo Sacerdote diz que mudará a história.

Em um comentário eles adiantaram essa parte para mim, é realmente incrível que algo assim seja mencionado. “Conhecimento é poder”, diz o ditado, mas lembre-se de que o conhecimento também pode causar destruição.

©香月美夜・TOブックス/本好きの下剋上製作委員会

Nascimento e destino de Delia

O irmão de Myne nasceu, podendo ver, como o rato o expressa, quão diferentes são as tradições nos diferentes mundos. O que eu mais quero enfatizar sobre isso está nos pós-créditos, onde o pai de Myne conta quantos filhos ele perdeu, exatamente o que ele pensava. Como este é um mundo semelhante ao medieval, a medina, devido a muita magia, não é avançada ou acessível a esses setores, a taxa de mortalidade deve ser alta e ele confirmou para mim. Perder um filho era como perder seu salário.

Quanto a Délia. Ele definitivamente ainda parece um excelente personagem, insuportável e odiado, mas totalmente compreensível. Nota-se que há casos de abuso infantil, ela menciona o concubinato, que deve ser normal em seu mundo (quem somos nós para julgar?), mas o que me atormenta é que ela precisa de algo assim para sobreviver. Delia será quebrada por dentro? Não sei, como é normal lá, talvez o que ele faz não lhe cause angústia além do fato de que ele precisa de alguém para apoiá-lo. E é por isso que ele continua traindo Myne, porque a coisa do rato não é normal.

Bom capítulo, como eu disse talvez um pouco chato em algumas partes, mas bom para quem segue o ritmo. Para esperar mais uma semana. (A propósito, há algo acontecendo entre o Sumo Sacerdote e Sylvester, piscadela, piscadela)

©香月美夜・TOブックス/本好きの下剋上製作委員会