Categorias
Animes e mangás

Revisão | ESPIÃO x FAMÍLIA – Capítulo 2

Embargo! Esta revisão do capítulo dois de SPY x FAMILY contém spoilers. Se você ainda não viu o episódio, recomendo que você dê uma olhada e depois volte para ler a resenha.

©遠藤達哉/集英社・SPY×FAMILY製作委員会

Missão:02 Objetivo: Conseguir uma esposa

SPY x FAMILY capítulo dois começa com a rejeição total de Franky ocupando o papel de mãe. Por outro lado, conhecemos Yor, uma funcionária do governo que não tem o melhor relacionamento com seus colegas. Ela tem suas próprias preocupações e é que ela tem um trabalho que ninguém sabe nada, ela é uma assassina. O destino leva ao encontro entre Yor, Loid e Anya, que devido às suas próprias circunstâncias decidem cooperar para ajudar um ao outro. Loid planeja ir a uma festa onde ela vai fingir ser seu namorado e então ela finge ser a mãe de Anya para entrar na escola. Devido à falta de funcionários, Loid tem que trabalhar na noite da festa para que Yor vá sozinho, porém, Loid consegue chegar e a apoia na frente de seus colegas. Mais tarde, quando eles saem, eles são perseguidos pelos inimigos que Loid enfrentou antes, mas eles se livram deles e concordam em manter seu relacionamento falso enquanto a missão/matas exigirem.

©遠藤達哉/集英社・SPY×FAMILY製作委員会

Um objetivo comum

Continuamos avançando nessa missão de manter a paz, e a próxima coisa que uma família precisa é de uma mãe. A escola do Éden não é uma escola qualquer, seus requisitos podem ser muito específicos e até conservadores, por isso não é de surpreender que uma figura materna seja absolutamente essencial. Claro que isso é apenas uma pedra no caminho para nossa amada Twilight, acostumada a trabalhar sozinha. Em suma, sem outra escolha, tive que procurar uma mulher que pudesse ser a candidata ideal. E para essa missão quase impossível, apareceu Yor, uma mulher de ficha limpa, solteira e que não tem nenhum problema com ele ser pai de uma menina. Sem dúvida, ela é a candidata ideal, principalmente para Anya que, ao descobrir sua verdadeira profissão, não pôde deixar de se emocionar.

De sua parte, Yor estava em uma encruzilhada, porque apesar de seus esforços, ele não pode ser completamente normal. O que a levou a se distanciar um pouco dos colegas e, portanto, a coloca em situação de perigo de ser suspeita de espionagem. Devido à sua idade, todos acham estranho que ela não tenha um parceiro, embora não inteiramente porque ela mesma é estranha. A situação de Yor é simples, ela quer demonstrar uma normalidade que ela não entende completamente, e é por isso que as palavras de seus colegas a afetaram para tentar encontrar um parceiro. Soma-se a isso o fato de que ele não quer preocupar seu irmão, então ele acredita que, se tivesse um parceiro, as preocupações de seu irmão desapareceriam.

Assim, ambas as situações se alinham para fazer de Loid e Yor o casal ideal para esta missão. Bem, nenhum interferiria no outro mais do que o necessário, ajudaria seus interesses e, sendo justo, a falta de bom senso de ambos coincide muito bem.

©遠藤達哉/集英社・SPY×FAMILY製作委員会

Assassino x Espião

Enquanto o foco da missão ainda é criar uma família para se infiltrar na Eden School, este episódio nos dá uma primeira olhada em Yor. Ela é uma assassina de profissão e, portanto, tem um caráter muito peculiar. Além de pensar constantemente em assassinato, ela tem uma imagem pouco clara de normalidade. Embora ela entenda que seu irmão quer algo assim para ela, começar uma família e ser feliz, no fundo ela sabe que não pode fazer isso. Todos os seus anos de formação como assassina estão sempre no meio. Há também o fato de que seu personagem a colocou no lado ruim de seus colegas, então ela não costuma receber sinais de gentileza.

Seu encontro com Loid é uma mudança total em seu ritmo. Não só pela ajuda que é oferecida, mas porque ela o reconhece genuinamente como alguém gentil e confiável. Ele se torna uma luz no escuro, porque não só poderá esclarecer dúvidas sobre sua identidade, mas ele e sua filha Anya podem ser aquele sopro de normalidade que tanto lhe escapa. O que é fato é que tanto Loid quanto Yor são um casal muito complementar. Não apenas porque são espiões e assassinos, mas por causa da natureza oculta de seu trabalho, ambos se encaixam física e mentalmente. Loid é muito inteligente e capaz, enquanto Yor é mais inocente e pateta. Mesmo assim, ambos se deixam levar por um senso comum inusitado, típico de seus ofícios. Não há dúvida de que o melhor casal nasceu.

©遠藤達哉/集英社・SPY×FAMILY製作委員会

Comentário final

SPY x FAMILY capítulo dois foi um episódio divertido e pensativo, o melhor de tudo foi finalmente conhecer Yor e ter o retrato completo da família. O capítulo seguiu o ritmo do anterior, deixando-nos levar um ritmo suave e ritmado entre comédia, ação e ainda acrescenta seu próprio drama. Não basta conhecer superficialmente a profissão, é o que nos diz este episódio. Yor não é uma simples assassina, por trás dela há treinamento e uma razão para essa profissão. Manter uma fachada também não é fácil, muito menos quando você é tão dedicado à sua profissão que os pensamentos sobre ela o assombram constantemente. Já podemos ver que Yor é uma adição de ouro a esta família peculiar de espiões e esper.

Antes de fechar esta resenha, vamos falar sobre a abertura que finalmente estreou neste segundo episódio. Começando com a música, “Mixed Nuts” do Official HIGE DANdism é uma música incrivelmente cativante, é otimista e otimista. A parte visual é uma delícia, com um estilo caricatural dos anos 60, com o contraste da arte moderna para uma mudança de ritmo. Com certeza foi uma escolha muito sábia. Sou toda elogiada pela abertura, adorei e não posso negar. Além do fato de eu ser cada vez mais fã da comédia da série, atenção especial às expressões de Anya que são as melhores.

©遠藤達哉/集英社・SPY×FAMILY製作委員会

Até agora a revisão, deixo as perguntas habituais: O que você acha deste capítulo? Qual é a sua opinião sobre Yor após sua estreia? Além de assassino, que outra profissão poderia se encaixar nessa família tão peculiar? Você acha que eles estarão prontos para sua estreia como família antes da escola no tempo que resta?