O criador de Gundam criticou que o anime seja usado em relações públicas

O jornal japonês The Mainichi Shimbun publicou um artigo com algumas palavras de Yoshiyuki Tomino, criador da mundialmente popular franquia Mobile Suit Gundam. Já citamos alguns dos comentários grosseiros do diretor, e desta vez ele comentou sobre como o incomoda que o estilo de animação do Japão seja usado em relações públicas.

Gundam

«O diretor de animação Yoshiyuki Tomino (80 anos), criador da popular série de animação ‘Mobile Suit Gundam’, deu uma entrevista ao Mainichi Shimbun e outros meios de comunicação. O tema não se limitou à sua cidade natal, Odawara, na província de Kanagawa, mas também abrangeu questões ambientais e educacionais globalmente, e agora é a hora de ouvir as palavras do professor, que terá chegado ao fim de sua vida. 2021.

« (Omissão) Ele então comentou sobre a criação de uma tampa de bueiro projetada por Gundam na cidade e sua nomeação como embaixador de sua cidade natal de Odawara no verão de 2021: “Aceitei o cargo de embaixador turístico da cidade madura. Mas a verdade é que eu não quero ver muitos esgotos Gundam como eles são. Não é uma paisagem natural“, comentou.

«Ele continuou com seu comentário: “É hora de falar sobre se está tudo bem para personagens de séries animadas se infiltrarem na paisagem de nossas vidas. Não posso deixar de sentir que eles estão contaminando a cultura japonesa, incluindo o Yuru-chara (termo japonês que se refere a uma categoria de personagens mascotes, geralmente criados com o objetivo de promover um lugar ou região, evento, organização ou negócio) . Não há problema em ser promovido como uma ferramenta de marketing, mas as relações públicas devem abster-se.” Desde 2021, Tomino tenta impedir que ‘Mobile Suit Gundam’ seja usado em administrações locais, como esgotos e placas de carros.”

“Ele não quer exibir itens de anime e mangá em todo o seu quarto, mas sim uma obra de arte altamente valorizada que é uma litografia que ele adquiriu há mais de 30 anos. A pintura a óleo “Café Terrace à Noite”, do pintor impressionista Van Gogh, foi pintada com uma técnica que reproduz a pintura em três dimensões. “Não é uma pintura em miniatura, mas gosto de ver. O surrealismo, onde eles são reproduzidos até os poros, não é uma boa ideia. A única razão pela qual essas pinturas são vendidas por preços tão altos é para fins fiscais para aqueles com dinheiro extra. Eles não percebem o quanto poluem o meio ambiente gastando o dinheiro como se fossem suas aventuras espaciais e lançamentos de foguetes”, comentou sobre o assunto.

Fonte: O Mainichi Shimbun

Copyright OS JORNAIS MAINICHI. Todos os direitos reservados.

You may also like...