Japão: O homem que levantou a censura de filmes pornôs foi condenado

Conforme relatado anteriormente, um homem de 44 anos foi preso em outubro de 2021 no Japão por usar tecnologia de inteligência artificial para remover um mosaico de filme adulto de um cliente e cobrar uma taxa por isso. Em 29 de junho, o Tribunal Distrital de Kyoto emitiu seu veredicto no caso.

Japão

O réu, Masayuki Nakamoto, foi condenado a dois anos de prisão, suspenso por três anos e multado em dois milhões de ienes (mais de 14,73 mil dólares americanos). Vale lembrar que Nakamoto não irá para a cadeia se não cometer outro crime nos próximos três anos, se o fizer, ficará preso por dois anos. É isso que uma “prisão suspensa” implica.

De acordo com a decisão, Masayuki Nakamoto usou tecnologia de inteligência artificial para editar o vídeo e vendeu os arquivos editados para quatro pessoas pela Internet. Como o réu se declarou culpado de boa maneira e pretendia refletir, uma pena suspensa era aplicável, relatam as fontes.

“Embora haja um pequeno vislumbre de possibilidade de que isso mude se o fundador do FC2, Riyo Takahashi, ganhar um assento na Câmara Alta Japonesa este mês, ainda é ilegal no Japão vender ou distribuir material adulto sem censura. O visual de ‘mosaico’ se tornou um ícone do vídeo adulto japonês: aqueles pixels granulados onde o pênis e a vagina deveriam estar”, escreveu outra fonte.

Fonte: XOER

You may also like...